Manifestação nacional de trabalhadores não docentes condiciona escolas

21.04.2017

|

Actualidade

Protestam, esta tarde, contra a falta de funcionários não docentes e das condições de trabalho.

Após a manifestação dos professores, os trabalhadores não docente das escolas públicas também vão para a rua esta tarde. O protesto, marcado pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas (também afecta à CGTP), pode levar ao fecho de alguns estabelecimentos de ensino.

A concentração começa partir das 14h00, junto à estação da CP, na Av. 5 de Outubro, e depois desfilam até ao Ministério da Educação, onde querem “fazer sentir o seu protesto pelo facto de o Ministro da Educação não ter até agora aberto a negociação do Caderno Reivindicativo, entregue há um ano àquele membro do Governo”, refere a nota enviada à redacção.

“A escola pública continua a ter uma crónica falta de pessoal não docente efectivo, pelo que o recurso à contratação precária é sistemática; os trabalhadores continuam sem ter direito a carreiras específicas que dignifiquem o exercício das suas funções e promovam a qualidade dos serviços prestados; o Governo insiste em destruir a Escola Pública, com o processo de municipalização que porá em causa a sua universalidade e a desresponsabilização do poder central”, justifica o mesmo texto.

Os trabalhadores acusam tutela da falta de “disponibilidade para negociar as reivindicações apresentadas”, apesar de várias reuniões, entre a Federação Nacional dos Sindicatos e a secretária de Estado Adjunta e da Educação.

Rádio Renascença