Desfaçatez, má educação e defesa da honra. A discussão entre PS e PSD

08.03.2017

|

Assembleia da República

O primeiro-ministro e o presidente do PSD entraram em discussão por causa das transferências de 10 mil milhões de euros para paraísos fiscais.

O PS e o PSD envolveram-se numa acesa discussão sobre honra e má educação, durante o debate quinzenal no Parlamento, esta quarta-feira.

A troca de acusações começou com uma intervenção do presidente do PSD, que introduziu a questão das transferências para paraísos fiscais.

“Hoje sabemos que não há nenhuma ligação política às transferências para 'offshores'", afirmou Passos Coelho.

Na resposta a esta intervenção, o primeiro-ministro António Costa lançou duras críticas a Passos. "Confesso que o senhor consegue sempre surpreender-me pela desfaçatez", disse o primeiro-ministro.

Foi nesta altura que os ânimos exaltaram-se na bancada parlamentar do PSD. Luís Montenegro, líder parlamentar dos social-democratas, pede então a palavra para "defesa da honra da bancada", acusando Costa de ser "mal educado" com aqueles que "representam o povo português".

Foto: Mário Cruz/ Lusa

"Eu não recebo lições de boa educação", respondeu Costa.

O deputado socialista Carlos César pediu então a palavra para defesa da honra. "O PS sente-se ofendido quando se transforma esta Assembleia num espaço de insulto, de intolerância e guerrilha mediática".

Os ânimos acalmaram depois quando a coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, pediu a palavra e conduziu o debate para outros temas, nomeadamente, as expectativas quanto ao descongelamento das carreiras da função pública.

O crescimento económico sustentado foi o tema escolhido pelo Governo para abrir o debate quinzenal no parlamento com o primeiro-ministro, que foi confrontado pelo PSD com a polémica que envolve o governador do Banco de Portugal.

Rádio Renascenla