Metro de Lisboa vai ter estações na Estrela, Santos, Campolide e Amoreiras até 2022

05.05.2017

|

Governo

Até 2022 ficam prontas as estações na Estrela e Santos, que vão custar 216 milhões de euros.

O Metropolitano de Lisboa vai ter mais duas estações até 2022 - Estrela e Santos -, estando previstas também estações nas Amoreiras e em Campo de Ourique, embora nestes dois casos sem uma data prevista de conclusão.

De acordo com o plano de desenvolvimento operacional da rede, apresentado em conferência de imprensa, está previsto o prolongamento da Linha Amarela do Rato ao Cais do Sodré, com duas novas estações na Estrela e em Santos.

O custo desta obra é de 216 milhões de euros, com recurso a fundos comunitários e a empréstimo no BEI — Banco Europeu de Investimento.

Os concursos devem avançar no 2.º semestre de 2018, estando prevista a entrada ao serviço no final de 2021.

Está também prevista a aquisição de 33 novas carruagens, num investimento estimado de 50 milhões de euros.

O plano foi apresentado pelo presidente do conselho de administração da empresa, Vitor Domingues dos Santos, numa cerimónia com as presenças do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina.

O documento prevê o prolongamento da Linha Vermelha entre são Sebastião e Campo de Ourique, com duas estações nas Amoreiras e em Campo de Ourique.

Este prolongamento tem um custo estimado de 186,7 milhões, mas neste caso não há uma data de conclusão prevista, "por ausência de garantias de financiamento". No entanto, a empreitada "deverá vir a ser financiada durante o próximo ciclo de fundos comunitários", segundo o plano.

Será ainda construída uma ligação pedonal subterrânea entre a estação do Rato à Praça de Santa Isabel, permitindo o acesso às Amoreiras.

Para este ano, o Governo prevê ainda ampliar o cais da estação de Arroios e reabilitar instalações, nomeadamente as escadas mecânicas da estação Baixa-Chiado.

Rádio Renascença